16 de fev de 2018

Cartas, cafés e cicatrizes: Gaiola

O trecho a seguir é parte de um capítulo de Cartas, cafés e cicatrizes, minha história disponível no Wattpad. É a visão de um dos protagonistas, o Matheus, sobre o amor.
Espero que gostem e bom final de semana!
....................................................................................................................................
Talvez a função de algumas pessoas nas nossas vidas seja exatamente essa, aparecer, transformar, nos tornar mais humanos e deixar com que queiramos ser salvos. E só então, partir.
Talvez Luna Caterina não devesse ficar na minha vida e muito menos ao meu lado.
Talvez o papel dela já tenha sido cumprido e eu também já tenha atingido tudo o que precisava na vida dela.
Eu não sei.
Nunca acreditei muito em finais felizes como os que mostram nas comédias românticas.
O amor não deve ser um desafio nem um objetivo a ser conquistado, e disso eu tenho certeza que nunca vou esquecer. Porque o amor se revelou para mim como paz, equilíbrio e aceitação.
O amor me mostrou que, ao aprender a amarmos o que somos, amar outra pessoa é ainda melhor. É libertador.
E depois de experimentar o vento no rosto após conseguir voar pela primeira vez, apesar do tombo, eu não queria mais voltar para àquela gaiola.

Nunca mais.

12 de fev de 2018

Com amor, Caloura: preparação física e mental

E aí, futuros calouros e calouras?

Hoje eu vou falar sobre preparação em época de vestibulares, mas principalmente na rotina de estudos.

Eu fiz um cursinho online para estudar, e um dos professores SEMPRE falava sobre ser uma maratona, sobre precisarmos nos preparar como atletas. Os pilares desse tipo de rotina é: estudo, descanso e lazer.

É exatamente isso que você leu. Pode parecer poético nas manchetes alunos que estudavam 12, 14 horas por dia, que desativaram as redes sociais, que não saiam com os amigos. Na prática, se você voltar a sua vida só e unicamente para o estudo, você não vai conseguir estudar direito.

É bem lógico e simples de entender, se a sua mente não estiver descansada, ela não processa, e ao invés de ter essas horas bem aproveitadas, você força seu cérebro e seu corpo e acaba não funcionando nada.

CLARO que quando falamos sobre um objetivo, alguns sacrifícios precisem ser realizados. Claro que você não vai também sair 5 vezes por semana e dormi 15 horas por dia. A palavra chave é a de sempre: equilíbrio.

Ao montar um cronograma de estudos, cronograma esse que é super pessoal porque ninguém conhece melhor a sua rotina do que você, coloque espaços de descanso entre os momentos de estudo. Saia com os amigos em um dia da semana ou assista um filme da sua preferência. Se possível, realize exercícios físicos.

Não se coloque no limite.

Para os estudos, especificamente, recomendo rotina de conteúdo, revisão e EXERCÍCIO. Fazer exercícios, principalmente do vestibular que se quer prestar e do ENEM é essencial para o melhor conhecimento da prova. Se possível, realize simulados.

Distribua bem seu tempo, lembre-se que sua saúde mental é a prioridade e que com organização e equilíbrio tudo se resolve de maneira saudável e com resultados.

Sei que o texto de hoje é bem clichê, e bem simples, mas tendo passado por isso sei que precisamos efetivamente ler/ouvir essas palavras.

Bons estudos! Tem alguma dica para essa rotina? Manda pra gente.

Com amor, Caloura.

Todas as segundas, no Contando Estrelas.

7 de fev de 2018

O que toca no meu fone: Harry Styles

HEYA, galera, tudo bem com vocês?

Hoje é a REinauguração do O que toca no meu fone?, quadro onde eu apresento algum artista/banda, falo um pouquinho da história dele/a/es/as e indico umas músicas, e o artista escolhido pra hoje é:

HARRY STYLES!!!!!!! (meu bebê lindo)


Harry Edward Styles nasceu no dia 2 de fevereiro de 1994, em uma cidadezinha da Inglaterra. Apareceu para a mídia no ano de 2010, ao se inscrever para o The X-Factor e não sendo selecionado em certa fase, foi chamado novamente e colocado com outros 4 garotos em uma banda: ali nascia a One Direction.

A banda conquistou rapidamente o país e o mundo, acumulando grandes números e muitas, muitas fãs.

No ano de 2015, o integrante Zayn Malik saiu da banda, restando Harry, Louis, Liam e Niall.
No ano de 2016, a banda entrou em pausa, e assim, cada um dos quatro (pois Zayn já havia feito o mesmo) seguiram carreiras solo e se dedicaram também a projetos particulares.

Harry participou no filme Dunkirk (2017) e lançou também seu álbum de estreia: Harry Styles, além de anunciar e iniciar sua tour mundial.

Inclusive, duas datas, 27 e 29 de maio, são reservadas para o Brasil, no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Sem mais delongas, 5 recomendações do nosso lindíssimo e talentosíssimo Harry (Hazzybear) <3

1 - Meet Me In The Hallway


Essa é, provavelmente, minha preferida do álbum. Ela é bem triste, bem melancólica, mas é linda. E vale ressaltar: as músicas do álbum são composição dele! 

2 - Girl Crush - Cover


Harry, por que me matou com este cover? 

3 - Carolina


A apresentação deste dia foi divina, então... Carolina não é tão melancólica nem triste quanto às outras, bem pelo contrário. 

4 - Ever Since New York


Foi a primeira música do álbum que eu morri de amores é isto.

5 - Sweet Creature


SWEET CREATUREEEE

Gente. Que música é essa, Harry? (You bring me home)

E CHEGAMOS AO FIM.

Espero que gostem, eu AMO meu menino e sou apaixonada por ele desde que conheci, em 2012, e NEM CREIO que vou poder prestigiar essa coisa linda ao vivo.

E não esquece de respirar, ein?

O que toca no meu fone, em quartas alternadas, no Contando Estrelas.

5 de fev de 2018

Com amor, Caloura: vamos começar nessa jornada juntxs?

E aí, galerinha, tudo bem com vocês?

Hoje meu papo é especialmente com os vestibulandos ou pré-vestibulandos que por acaso venham a estar acompanhando esta coluna.

Estou escrevendo esta espécie de carta no domingo anterior à postagem, que acontece na segunda dia 05/02, enquanto estou me organizando para juntar uma grana, como forma de tornar alguns dos meus sonhos/objetivos em planos, realidades. Desde antes de ingressar no ensino médio, eu já sabia o curso e a universidade que eu queria ir após me formar em técnica em informática (inclusive, formei, mores, amém Deus) e exatamente por isso, sempre nos planejávamos em casa para eu concluir isso. Eu, minha mãe, o resto da minha família, minha irmã mais nova, sempre encarávamos isso como um destino certo, concreto. Mas foi preciso trabalho.

Ao longo do ensino médio, em alguns momentos questionei minha vontade e minha capacidade. Questionei a mim mesma se a minha aparente certeza não era apenas medo de me arriscar em outras áreas, em ter outros quereres. A resposta? Não sei. Não acredito agora que minha escolha tenha sido uma zona de conforto, mas uma decisão, até agora, acertada.

Então, é isto, decidi: quero cursar Letras - Língua Portuguesa e Literaturas na Universidade Federal de Santa Catarina. A partir daí, comecei a pensar em ir embora, em começar a estudar, em planejar meu psicológico para o ano de 2017, ano em que eu cursaria o vestibular da UFSC (um dos difíceis pela sua estrutura), o ENEM, estudaria para o vestibular, faria meu TCC e finalizaria minha grandiosa experiência no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Avançado Sombrio.

Meus objetivos estava muito bem traçados, eu em janeiro já tinha começado o planejamento de estudos, no ano anterior (2016) escolhido o cursinho que estudaria e no dia 06 de fevereiro de 2017, eu iniciei meus estudos preparatórios para me tornar, no ano seguinte, caloura de Letras.

Quando as aulas começaram, eu me mantive focada e firme no que tinha planejado. A primeira reviravolta foi quando me inscrevi (e passei) para ser monitora de Língua Portuguesa na minha escola. Mas ainda não fugiu muito do caminho que eu tinha traçado. Até mais ou menos a metade do ano, eu não pensava em nada além. Mas a vida é uma caixinha de surpresas e que bom que é. Em junho, Harry Styles, um artista britânico no qual eu sou apaixonada desde 2012, quando ainda era integrante da banda One Direction, também britânica, anunciou datas de shows no Brasil. Não me recordo se exatamente essa foi a a primeira reviravolta nos meus planos, mas foi uma importante. Era um sonho a mais, prestes a se tornar realidade. Agarrei-me a ele.

Depois, mais ou menos na mesma época, recebi o convite para participar de uma chapa para concorrer ao Grêmio Estudantil da minha escola, para ir a um Encontro Estudantil, e quase, quase recusei ambos os convites. Pensei que estaria me desviando do que queria para mim mesma.

Eu estava errada, ainda bem. Militar como integrante do Grêmio Estudantil, no cargo de Diretora de Comunicação e conhecer ainda mais pessoas do Movimento Estudantil me salvou da confusão que eu estava mergulhando. Do medo do novo, do desconhecido, do profundo. E, com o apoio incondicional dos meus amigos, dentro e fora do ME, eu mergulhei de olhos bem abertos e sem colocar a mão no nariz como sempre fiz.

Estudei o que pude. Fui em passeios, entrei em uma banda (obrigada, Aresta), defendi meu TCC com êxito (obrigada, Kass), participei de momentos que só o ME me proporcionou e no final do ano, realizei o ENEM.

Não fiquei satisfeita no momento dos meus resultados preliminares. Achei que tinha estragado tudo e que nunca ia conseguir.

No mês seguinte, realizei o vestibular da UFSC, um vestibular que consta com questões somatórias, abertas e discursivas e quase entrei em pânico em uns dois dias dos três de vestibular. Novamente, não acreditei na minha preparação, resiliência e inteligência. Se eu não conseguisse agora, o que ia fazer?

Preparei novamente minha mente, busquei resultados e vi que o que estava feito, estava, e que ninguém sabia também o que esperar do futuro.

Que ano foi 2017, meus amores. Que ano.

No dia 09 de janeiro de 2018, saiu a classificação do vestibular: eu fui aprovada em 3º lugar no curso que sempre quis. Não acreditei porque era surreal demais. Mas agora, escrevendo sobre a minha preparação durante o ano que passou e antes, percebi que estava tudo muito claro e que aquilo não era nada surreal: era extremamente REAL e MEU. Minha realidade.

Tive tanto auxílio, apoio, crença em mim, tantos momentos de distração para não enlouquecer e no fim, nem tudo correu como o planejado, e que bom. Talvez o ano que eu tinha mentalizado não tivesse sido tão engrandecedor e tão incrível.

E por isso, hoje, Caloura, escrevo essa coluna, para que você, assim como eu, consiga se reconhecer e se aceitar e se ajudar e transformar seus sonhos em realidade. Talvez isso não aconteça logo que você saia do terceiro ano. Talvez, daqui a 10 anos. E o que podemos fazer agora é o máximo para que cumpramos nossos planos.


Estou aqui para ajudar no que puder. Não esquece de respirar,

Com amor, Caloura.

Todas as segundas, no Contando Estrelas.


2 de fev de 2018

Bem-vindo 2018!

Primeiramente...(pensa)

Feliz ano novo e QUE ANO FOI 2017?

2017 me ensinou tanto, me bateu tanto, me acolheu, me abraçou, me testou, me forjou.
Amém, 2017!

Mas agora, FOCA AQUI!


Primeiro, vim aqui trazer o cronograma do mês de fevereiro - isso, porque meu primeiro semestre de 2018 vai ser uma loucura, então um passo de cada vez - com os quadros e os dias de postagem.
REZEMOS PARA QUE MINHA GEMINIANISSE NÃO ME FAÇA PERDER ESTE ROTEIRO, AMÉM.

Bom, vamos ao que interessa.

Nas SEGUNDAS-FEIRAS, eu vou me dedicar ao quadro novo que se chama "Com amor, Caloura" ~pois agora caloura de letras federal né mores~ onde vou falar sobre a minha experiência ATÉ ser caloura (de novo, mas essa é outra história). A experiência que digo é no quesito, cursinho ou não? Estudar o quê? Como estudar? Preciso me preparar além das disciplinas (MAS COM CERTEZA), tudo com base na minha simples jornada pessoal. Decidi falar sobre isso, do fundinho do meu coração, então espero que gostem, compartilhem, apreendam as dicas e DALE.


Nas QUARTAS-FEIRAS, teremos alternadamente dois quadros: O que toca no meu fone? - que é um quadro antigo do blog que eu amo fazer - e umas resenhas mutcho loucas.

Por fim, nas SEXTAS-FEIRAS, é meu dia de surtar, postar ALEATORIEDADES  e TEXTOS. Meu dia livre, por assim digamos.

Esse cronograma é válido para o mês de fevereiro, e a gente vai alterando se surgir necessidade.

Meus votos para 2018 são luz, garra, determinação, muita luta, muita resistência, muito estudo e muita experiência. E claro, muito amor.

Não esquece de respirar!

E até segunda, XOXO.